Ministério Público do Trabalho lança a campanha Maio Lilás para discutir sobre a Liberdade Sindical e Reforma Trabalhista

08/05/2018 - 14:11

Após reforma trabalhista o MPT lança campanha em defesa da atuação dos sindicatos para defender os trabalhadores.

Na segunda-feira, dia 7 de maio, o Ministério Público do Trabalho lançou a campanha “Maio Lilás”, com o intuito de discutir sobre a liberdade sindical e a participação dos trabalhadores e trabalhadoras no sindicato. A abertura aconteceu na sede da Procuradoria Geral do Trabalho, em Brasília. Uma mesa-redonda debateu sobre o tema “liberdade sindical e reforma trabalhista”. Houve também o lançamento da revista em quadrinhos sobre sindicatos e um site que traz informações sobre a reforma trabalhista (www.reformadaclt.com.br).

Para o procurador do MPT e coordenador nacional de Promoção da Liberdade Sindical, João Hilário Valentim, “a discussão da liberdade sindical e da participação dos trabalhadores nos seus sindicatos ganha relevância este ano, em especial em razão das mudanças promovidas nas relações de trabalho por força da Lei 13.467/2017, a lei da reforma trabalhista”. João Hilário também afirmou que é necessário recursos para promover ações em defesa dos trabalhadores e com o fim da obrigatoriedade da contribuição sindical, a entidade fica enfraquecida.

O procurador-geral Ronaldo Fleury, também destacou a importância do sindicato na luta em defesa dos direitos dos trabalhadores e trabalhadoras. “Cabem aos sindicatos ter esse papel de defesa dos trabalhadores e essa representação deve ser exercida com absoluta independência das empresas, sem ter receio de represálias”, disse Fleury.

Representantes de entidades sindicais estiveram presente no evento, participando da mesa-redonda, como a Central Única dos Trabalhadores (CUT), na presença do secretário de Assuntos Jurídicos, Valeir Ertl; a Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB); a Federação Nacional das Empresas de Serviços Contábeis (Fenacon) e a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

Durante todo o mês de maio haverá programação com diversas atividades afim de dar visibilidade e discutir sobre o tema.

A cor lilás é uma homenagem às 129 mulheres trabalhadoras, que foram trancadas e queimadas vivas em um incêndio criminoso numa fábrica de tecidos, em Nova Iorque (EUA), em 8 de março de 1857, por reivindicarem um salário justo e redução da jornada de trabalho. No momento do incêndio, era confeccionado um tecido de cor lilás.