Prefeitura de Baraúna (RN) descumpre Plano de Carreira do Magistério

10/01/2018 - 14:28

Não satisfeita com as perdas salariais dos professores acumuladas no período de 2010 a 2018, a prefeitura de Baraúna ainda quer retirar direitos adquiridos via Projeto de Lei.

Um levantamento realizado pelo assessor jurídico do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Baraúna (Sindserb), Liécio de Morais Nogueira, mostra a evolução salarial do magistério do município com base nas leis 391/2009 e 525/2014. A tabela elaborada por ele demonstra as perdas salariais dos professores no período de 2010 a 2018.

O gráfico acima mostra a evolução do Piso Nacional e o valor pago pela prefeitura de Baraúna (RN) a um professor nível médio (carga horária de 30 horas) no período de 2010 a 2018. 

O único ano em que o valor pago pela prefeitura se igualou ao reajuste do piso nacional foi o de 2016. Quando se faz a mesma comparação para os níveis 1, 2, 3 e 4, a discrepância é ainda maior. A situação piora mais quando se soma os prejuízos com as mudanças de letras que a prefeitura insiste em não cumprir e a redução nas vantagens como quinquênio, regência de classe e cursos de curta de duração que são calculados pelo salário base. Acesse a tabela completa AQUI.

Depois de todas essas perdas nos salários dos professores, a prefeitura protocolou na Câmara de Vereadores um Projeto de Lei retirando direitos já conquistados, como regência de classe e curso de curta duração, sem falar na redução do salário base.

Culpar os servidores públicos pelas mazelas dos municípios, estados e União tem sido a política neoliberal adotada pelos governantes.