Municipais participam do 3º Módulo de Formação Sindical da CUT Sergipe

18/09/2018 - 13:50

Na pauta, negociação coletiva como instrumento para democratizar as relações de trabalho.

Um público bem representativo contando com a presença de 14 sindicatos participou do 3° modulo do curso de formação sindical ORSB da Central Única dos Trabalhadores (CUT/SE) que aconteceu na sede da central em Aracaju no último sábado, dia 15/9.

Para participar do sábado de estudos, lideranças sindicais viajaram de Aquidabã, Nossa Senhora do Socorro, Frei Paulo, Campo do Brito e São Cristóvão. A formação foi construída por lideranças e por trabalhadores filiados ao Sindinutrise (Nutricionistas), SENGE (Engenheiros), SEESE (Enfermeiros), Sinergia (Eletricitários), Sindisan (Urbanitários), Sintese (Professores), SINTTEL (Telecomunicação), Sindisocorro, Sindibrito, Sindifrei (Servidores Públicos Municipais), Grupo Atitude (Oposição Saúde) e Sindimina (Mineiros).

Parte do curso foi ministrada pelo economista e técnico do DIEESE (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) em Sergipe, Luís Moura. Os temas abordados ao longo do sábado foram ‘Negociação Coletiva como instrumento para Democratização das Relações e Valorização dos Trabalhadores’, ‘Organização e Representação Sindical de Base e Solidariedade como Instrumento de Luta da Classe Trabalhadora’. 

Secretário de Formação da CUT/SE e vice-presidente do SINTESE, Roberto Silva acrescentou que os sindicatos podem replicar os cursos de formação em sua base contando com o apoio da CUT. “A gente sente aqui que, de fato, o maior desafio do movimento sindical neste momento é organizar os trabalhadores na base para fortalecer a luta. A organização de base é um princípio que está no estatuto da CUT. Então mesmo quando a gente consegue conquistar a pauta de valorização salarial, é preciso conquistar outras pautas e manter aceso o diálogo com os trabalhadores, buscar a conscientização da base sobre a importância do sindicato. Esta é a essência da nossa construção. E um sindicato forte é um sindicato enraizado na base”.

Roberto Silva acrescentou que em dezembro haverá nova reunião para avaliação e discussão da formação no próximo ano quando as sugestões de cada sindicalista serão levadas para a Conferência Nacional de Formação da CUT.