Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

Confetam e federações realizam ato nacional conjunto para celebrar o 1º de Maio

Agendado para às 19h de sábado (1º), o ato virtual do Ramo dos Municipais CUTistas reunirá representantes dos trabalhadores do serviço público estadual, federal, da Educação e da Seguridade Social

Escrito por: Déborah Lima • Publicado em: 27/04/2021 - 17:24 • Última modificação: 30/04/2021 - 12:41 Escrito por: Déborah Lima Publicado em: 27/04/2021 - 17:24 Última modificação: 30/04/2021 - 12:41

. .

Analisando o cenário político atual e o acúmulo de projetos em tramitação no Congresso Nacional que impactam diretamente na vida dos servidores, das servidoras públicas municipais e da população, a Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal (Confetam/CUT) celebrará o 1º de Maio com um ato político nacional.

Marcado para às 19 horas deste sábado, o ato virtual do Dia Internacional do Trabalhador e da Trabalhadora contará com a participação dos presidentes e presidentas das federações estaduais filiadas e dirigentes das entidades nacionais representativas de profissionais do serviço público das três esferas de governo, da Educação e da Seguridade Social.

Maio de lutas

“Vamos transformar este mês em um ‘Maio de Lutas’. Teremos recortes sobre tudo o que está acontecendo na Câmara e no Senado para direcionarmos as lutas a um conjunto de ações que estamos planejando. Serão diversas lives, de formatos e tamanhos diferentes, com perguntas dos participantes dirigidas aos convidados sobre temas que afetam diretamente a categoria e toda a sociedade”, explica a presidenta da Confetam/CUT, Vilani Oliveira.

A dirigente destaca a importância do ato conjunto da Confetam/CUT e das federações filiadas para o fortalecimento da organização sindical do Ramo dos Servidores Públicos Municipais CUTistas nos estados. Cada uma das 18 federações fará uma fala de três minutos focando nas questões mais essenciais para o serviço público.

Pautas essenciais

Na pauta do ato do 1º de Maio dos Municipais estarão a Campanha Vacina para Todes, articulada nacionalmente pela Confetam/CUT; a defesa do impeachment de Jair Bolsonaro por crime de genocídio e do auxílio emergencial de R$ 600,00; o combate ao projeto de lei que obriga a retomada das aulas presenciais na pandemia (PL 5.595) e à Reforma Administrativa (PEC 32).

Claramente prejudiciais não só ao serviço público, mas a toda população brasileira, as duas matérias tramitam no Senado e na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, respectivamente. Na última segunda-feira (26), a CCJ iniciou uma série de sete audiências públicas para discutir a PEC 32.

“Estamos pleiteando participar das audiências iniciadas ontem (26) para debater os impactos da Reforma Administrativa. Mandamos ofício à Presidência da Comissão (CCJ) e estamos aguardando retorno”, informa Vilani Oliveira. As outras seis audiências públicas estão agendadas para os dias 26, 29 e 30 de abril, e 3, 7, 10 e 14 de maio.

Fora Bolsonaro!

Pauta prioritária do 1° de Maio da Confetam/CUT, a bandeira do “Fora Bolsonaro” se impõe à sociedade como única forma de controlar a pandemia no Brasil e de reduzir os impactos das crises social e econômica causados pela irresponsabilidade do presidente genocida que contribuiu diretamente com a tortura e a morte de mais de 392.204 brasileiros e brasileiras.

“Não acredito que alguém ainda tenha dúvidas de que qualquer iniciativa visando a melhoria do serviço público e da qualidade de vida do povo, por mais emprego, por melhores salários, passa necessariamente pelo fim desse desgoverno. Então, não dá para se pensar um 1º de Maio sem o ‘Fora Bolsonaro’. Para nós, essa é uma pauta prioritária no Dia do Trabalhador e da Trabalhadora”, defende a presidenta da Confetam/CUT.

Manter-se vivo é um ato de resistência!

Para reforçar o coro do “Fora Bolsonaro”, a Confetam/CUT também convidou para a live do 1º de Maio representantes da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Serviço Público Federal (Condsef), da Federação Nacional dos Servidores e Empregados Públicos Estaduais e do DF (Fenasepe), da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Seguridade Social (CNTSS), da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) e da Internacional de Serviços Públicos (ISP).

“O momento é de articulação, é de retomada das ações – presenciais nas ruas ou por meio das redes sociais. É momento de nos cuidarmos porque nos mantermos vivos é um ato de resistência! Nós vamos vencer essa batalha! Vamos conseguir imunizar a população brasileira com luta e com pressão em cima desse governo genocida!”, convoca Vilani Oliveira.

A presidenta da Confetam/CUT destaca ainda a importância do engajamento das 18 federações estaduais filiadas no ato nacional dos municipais em celebração ao 1º de Maio. “É importantíssimo que as federações também mobilizem suas bases para compartilhar a live e fazer a transmissão simultânea para que a gente dê alcance e bastante visibilidade ao nosso ato político”, convoca Vilani Oliveira.

Título: Confetam e federações realizam ato nacional conjunto para celebrar o 1º de Maio, Conteúdo: Analisando o cenário político atual e o acúmulo de projetos em tramitação no Congresso Nacional que impactam diretamente na vida dos servidores, das servidoras públicas municipais e da população, a Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal (Confetam/CUT) celebrará o 1º de Maio com um ato político nacional. Marcado para às 19 horas deste sábado, o ato virtual do Dia Internacional do Trabalhador e da Trabalhadora contará com a participação dos presidentes e presidentas das federações estaduais filiadas e dirigentes das entidades nacionais representativas de profissionais do serviço público das três esferas de governo, da Educação e da Seguridade Social. Maio de lutas “Vamos transformar este mês em um ‘Maio de Lutas’. Teremos recortes sobre tudo o que está acontecendo na Câmara e no Senado para direcionarmos as lutas a um conjunto de ações que estamos planejando. Serão diversas lives, de formatos e tamanhos diferentes, com perguntas dos participantes dirigidas aos convidados sobre temas que afetam diretamente a categoria e toda a sociedade”, explica a presidenta da Confetam/CUT, Vilani Oliveira. A dirigente destaca a importância do ato conjunto da Confetam/CUT e das federações filiadas para o fortalecimento da organização sindical do Ramo dos Servidores Públicos Municipais CUTistas nos estados. Cada uma das 18 federações fará uma fala de três minutos focando nas questões mais essenciais para o serviço público. Pautas essenciais Na pauta do ato do 1º de Maio dos Municipais estarão a Campanha Vacina para Todes, articulada nacionalmente pela Confetam/CUT; a defesa do impeachment de Jair Bolsonaro por crime de genocídio e do auxílio emergencial de R$ 600,00; o combate ao projeto de lei que obriga a retomada das aulas presenciais na pandemia (PL 5.595) e à Reforma Administrativa (PEC 32). Claramente prejudiciais não só ao serviço público, mas a toda população brasileira, as duas matérias tramitam no Senado e na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, respectivamente. Na última segunda-feira (26), a CCJ iniciou uma série de sete audiências públicas para discutir a PEC 32. “Estamos pleiteando participar das audiências iniciadas ontem (26) para debater os impactos da Reforma Administrativa. Mandamos ofício à Presidência da Comissão (CCJ) e estamos aguardando retorno”, informa Vilani Oliveira. As outras seis audiências públicas estão agendadas para os dias 26, 29 e 30 de abril, e 3, 7, 10 e 14 de maio. Fora Bolsonaro! Pauta prioritária do 1° de Maio da Confetam/CUT, a bandeira do “Fora Bolsonaro” se impõe à sociedade como única forma de controlar a pandemia no Brasil e de reduzir os impactos das crises social e econômica causados pela irresponsabilidade do presidente genocida que contribuiu diretamente com a tortura e a morte de mais de 392.204 brasileiros e brasileiras. “Não acredito que alguém ainda tenha dúvidas de que qualquer iniciativa visando a melhoria do serviço público e da qualidade de vida do povo, por mais emprego, por melhores salários, passa necessariamente pelo fim desse desgoverno. Então, não dá para se pensar um 1º de Maio sem o ‘Fora Bolsonaro’. Para nós, essa é uma pauta prioritária no Dia do Trabalhador e da Trabalhadora”, defende a presidenta da Confetam/CUT. Manter-se vivo é um ato de resistência! Para reforçar o coro do “Fora Bolsonaro”, a Confetam/CUT também convidou para a live do 1º de Maio representantes da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Serviço Público Federal (Condsef), da Federação Nacional dos Servidores e Empregados Públicos Estaduais e do DF (Fenasepe), da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Seguridade Social (CNTSS), da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) e da Internacional de Serviços Públicos (ISP). “O momento é de articulação, é de retomada das ações – presenciais nas ruas ou por meio das redes sociais. É momento de nos cuidarmos porque nos mantermos vivos é um ato de resistência! Nós vamos vencer essa batalha! Vamos conseguir imunizar a população brasileira com luta e com pressão em cima desse governo genocida!”, convoca Vilani Oliveira. A presidenta da Confetam/CUT destaca ainda a importância do engajamento das 18 federações estaduais filiadas no ato nacional dos municipais em celebração ao 1º de Maio. “É importantíssimo que as federações também mobilizem suas bases para compartilhar a live e fazer a transmissão simultânea para que a gente dê alcance e bastante visibilidade ao nosso ato político”, convoca Vilani Oliveira.



Informativo CONFETAM

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.