Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

Brasil é um dos 10 piores países do mundo para se trabalhar

A conclusão é do Índice Global de Direitos, estudo anual realizado pela Confederação Sindical Internacional (CSI), que analisa o respeito aos direitos dos trabalhadores em 148 países do mundo.

Escrito por: Thiago Marinho • Publicado em: 04/07/2022 - 11:45 Escrito por: Thiago Marinho Publicado em: 04/07/2022 - 11:45

Divulgação O Brasil ficou posicionado na faixa cinco, a pior do ranking, ao lado de Bangladesh e Belarus.

A conclusão é do Índice Global de Direitos, estudo anual realizado pela Confederação Sindical Internacional (CSI), que analisa o respeito aos direitos dos trabalhadores em 148 países do mundo.

De acordo com a publicação, a situação dos trabalhadores no Brasil piorou em 2022, sendo a reforma trabalhista, aprovada pelo governo do ex-presidente Michel Temer (MDB), a principal causa da deterioração dos direitos trabalhistas no país.

"Desde a adoção da Lei 13.467, todo o sistema de negociação coletiva desmoronou no Brasil, com uma drástica diminuição de 45% no número de acordos coletivos concluídos", afirma a pesquisa, que destaca ainda os impactos da pandemia entre os trabalhadores.

Entre as violações no país, a CSI reportou o corte nos salários dos dirigentes sindicais que trabalham no banco Santander; a declaração de ilegalidade da greve dos metalúrgicos da General Motors, em São Bernardo do Campo; e a redução de benefícios e cortes de postos de trabalho na Nestlé.

O Brasil ficou posicionado na faixa cinco, a pior do ranking, ao lado de Bangladesh, Belarus, Colômbia, Egito, Filipinas, Mianmar, Guatemala e Suazilândia.

As piores regiões do mundo para a classe trabalhadora ficam na região conjunta do Oriente Médio e norte da África, com uma classificação média de 4,53 pontos. Os conflitos na Líbia, Palestina, Síria e Iêmen contribuem para esse cenário de enorme vulnerabilidade, diz o estudo.

A CSI é uma confederação sindical global, com 308 organizações filiadas em 153 países e territórios nos cinco continentes, com um total de 175 milhões de trabalhadores.

 

Título: Brasil é um dos 10 piores países do mundo para se trabalhar, Conteúdo: A conclusão é do Índice Global de Direitos, estudo anual realizado pela Confederação Sindical Internacional (CSI), que analisa o respeito aos direitos dos trabalhadores em 148 países do mundo. De acordo com a publicação, a situação dos trabalhadores no Brasil piorou em 2022, sendo a reforma trabalhista, aprovada pelo governo do ex-presidente Michel Temer (MDB), a principal causa da deterioração dos direitos trabalhistas no país. Desde a adoção da Lei 13.467, todo o sistema de negociação coletiva desmoronou no Brasil, com uma drástica diminuição de 45% no número de acordos coletivos concluídos, afirma a pesquisa, que destaca ainda os impactos da pandemia entre os trabalhadores. Entre as violações no país, a CSI reportou o corte nos salários dos dirigentes sindicais que trabalham no banco Santander; a declaração de ilegalidade da greve dos metalúrgicos da General Motors, em São Bernardo do Campo; e a redução de benefícios e cortes de postos de trabalho na Nestlé. O Brasil ficou posicionado na faixa cinco, a pior do ranking, ao lado de Bangladesh, Belarus, Colômbia, Egito, Filipinas, Mianmar, Guatemala e Suazilândia. As piores regiões do mundo para a classe trabalhadora ficam na região conjunta do Oriente Médio e norte da África, com uma classificação média de 4,53 pontos. Os conflitos na Líbia, Palestina, Síria e Iêmen contribuem para esse cenário de enorme vulnerabilidade, diz o estudo. A CSI é uma confederação sindical global, com 308 organizações filiadas em 153 países e territórios nos cinco continentes, com um total de 175 milhões de trabalhadores.  



Informativo CONFETAM

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.