Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

Confetam exige punição do prefeito de Criciúma por crime de homofobia contra professor da rede municipal

Clipe do cantor Criolo, que motivou ataques e demissão de docente, foi indicado ao Grammy Latino 2019 de melhor canção em Língua Portuguesa. Confetam repudiou a fala do prefeito e cobrou justiça

Escrito por: Confetam/CUT • Publicado em: 27/08/2021 - 16:12 • Última modificação: 27/08/2021 - 21:58 Escrito por: Confetam/CUT Publicado em: 27/08/2021 - 16:12 Última modificação: 27/08/2021 - 21:58

Guilherme Hahn Prova do crime: Clésio Salvaro disse em vídeo não permitir “viadagem” em sala de aula

A Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal (Confetam/CUT) e suas 18 federações estaduais filiadas, que juntas representam mais de 800 sindicatos e cerca de 1,4 milhão de servidores públicos municipais, vêm a público repudiar, com a mais profunda veemência, os ataques do prefeito de Criciúma (SC), Clésio Salvaro (PSDB), a um professor temporário, demitido da rede municipal de ensino por exibir para alunos de uma turma de Artes do 9º Ano do Ensino Fundamental (de 14 a 15 anos) um clipe sobre diversidade do cantor Criolo, indicado ao Grammy Latino 2019 de melhor canção em Língua Portuguesa.

Além da demissão pública, o prefeito afirmou em vídeo que não permitiria “viadagem” nas salas de aula do município. Mais que uma profunda ignorância sobre Artes e liberdade de cátedra, os ataques covardes e preconceituosos do prefeito ao docente escancaram a prática de dois crimes recorrentes que transformam o Brasil no país onde mais se mata a população LGBTQ no mundo: a homofobia e a transfobia.

A Confetam lembra ao prefeito Clésio Salvaro - e também a candidata bolsonarista a prefeita de Criciúma, Júlia Zanatta -, que em junho de 2019 o Supremo Tribunal Federal (STF) passou a considerar a homofobia e a transfobia crimes compatíveis ao racismo (Lei 7716/89), com previsão de multa e penas de um a três anos, que podem chegar a cinco se houver a divulgação do crime (ato homofóbico) nas redes sociais, como fizeram o prefeito e a candidata bolsonarista.

Portanto, em nome das servidoras e servidores das prefeituras e dos professores das redes municipais de ensino de todo o Brasil, a Confetam/CUT e suas federações estaduais exigem das autoridades constituídas a PUNIÇÃO do prefeito e da candidata POR CRIME DE HOMOFOBIA, um PEDIDO FORMAL DE DESCULPAS de Clésio Salvaro e de Júlia Zanatta ao professor, bem como a REINTEGRAÇÃO IMEDIATA do docente, violentamente atacado em seu direito de livre exercício profissional. 

Fortaleza, 27 de agosto de 2021

Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal – Confetam/CUT

Federações estaduais filiadas  

Título: Confetam exige punição do prefeito de Criciúma por crime de homofobia contra professor da rede municipal, Conteúdo: A Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal (Confetam/CUT) e suas 18 federações estaduais filiadas, que juntas representam mais de 800 sindicatos e cerca de 1,4 milhão de servidores públicos municipais, vêm a público repudiar, com a mais profunda veemência, os ataques do prefeito de Criciúma (SC), Clésio Salvaro (PSDB), a um professor temporário, demitido da rede municipal de ensino por exibir para alunos de uma turma de Artes do 9º Ano do Ensino Fundamental (de 14 a 15 anos) um clipe sobre diversidade do cantor Criolo, indicado ao Grammy Latino 2019 de melhor canção em Língua Portuguesa. Além da demissão pública, o prefeito afirmou em vídeo que não permitiria “viadagem” nas salas de aula do município. Mais que uma profunda ignorância sobre Artes e liberdade de cátedra, os ataques covardes e preconceituosos do prefeito ao docente escancaram a prática de dois crimes recorrentes que transformam o Brasil no país onde mais se mata a população LGBTQ no mundo: a homofobia e a transfobia. A Confetam lembra ao prefeito Clésio Salvaro - e também a candidata bolsonarista a prefeita de Criciúma, Júlia Zanatta -, que em junho de 2019 o Supremo Tribunal Federal (STF) passou a considerar a homofobia e a transfobia crimes compatíveis ao racismo (Lei 7716/89), com previsão de multa e penas de um a três anos, que podem chegar a cinco se houver a divulgação do crime (ato homofóbico) nas redes sociais, como fizeram o prefeito e a candidata bolsonarista. Portanto, em nome das servidoras e servidores das prefeituras e dos professores das redes municipais de ensino de todo o Brasil, a Confetam/CUT e suas federações estaduais exigem das autoridades constituídas a PUNIÇÃO do prefeito e da candidata POR CRIME DE HOMOFOBIA, um PEDIDO FORMAL DE DESCULPAS de Clésio Salvaro e de Júlia Zanatta ao professor, bem como a REINTEGRAÇÃO IMEDIATA do docente, violentamente atacado em seu direito de livre exercício profissional.  Fortaleza, 27 de agosto de 2021 Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal – Confetam/CUT Federações estaduais filiadas  



Informativo CONFETAM

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.