Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

Delegação de 56 servidores municipais fortalece a plenária/congresso da CUT CE

Formada por 25 homens e 31 mulheres, a delegação é uma das maiores do Ceará e terá papel fundamental na construção da greve geral do dia 30

Escrito por: Déborah Lima • Publicado em: 09/06/2017 - 17:52 • Última modificação: 09/06/2017 - 18:22 Escrito por: Déborah Lima Publicado em: 09/06/2017 - 17:52 Última modificação: 09/06/2017 - 18:22

. Atividade encerra sábado (10) com a eleição dos delegados para a 15ª Plenária da CUT

Servidores públicos municipais de todo o Ceará participam da 13ª Plenária Estatutária/I Congresso Extraordinário e Exclusivo da Central Única dos Trabalhadores no Estado (CUT/CE). Uma delegação formada por 31 mulheres e 25 homens, somando 56 municipais, representa a categoria na atividade, aberta na manhã desta sexta-feira (09), no Sindicato dos Bancários. A Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal (Confetam/CUT) está representada no evento pela secretária da Mulher Trabalhadora, Ozaneide de Paulo.  

A tônica das falas deu o mote da essência da plenária/congresso: a superação das divergências e a construção da unidade para a mobilização da maior greve geral da história do movimento sindical brasileiro. Agendada para o dia 30 de junho, a Greve Geral da Classe Trabalhadora exigirá a retirada das reformas previdenciária e trabalhista da pauta do Congresso Nacional, a revogação da Lei das Terceirizações e a aprovação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) das Diretas Já!

Unidade na luta

Na abertura do evento, a presidente da Federação dos Trabalhadores do Serviço Público Municipal do Ceará (Fetamce), Enedina Soares, deu as boas vindas aos delegados, delegadas, representantes dos movimentos sociais, convidados e autoridades. Ela cobrou dos presentes o compromisso de resistirem juntos aos ataques do governo golpista contra a classe trabalhadora.

"Temos de ter a compreensão de que sozinhos não construiremos a nossa resistência. Nosso desafio é trazer os não sindicalizados para a luta. A greve geral do dia 28 de abril mostrou que os trabalhadores querem ir para a rua", afirmou, lembrando que só no Estado do Ceará mais de 50 prefeitos decretaram ponto facultativo na data e que aqueles que não o fizeram tiveram de se explicar com a sociedade.

A presidente da Fetamce lembrou também que o ponto de partida das maiores manifestações nacionais contra as reformas e em defesa da democracia foi articulado inicialmente pelas trabalhadoras, com os atos do 8 de Março - Dia Internacional da Mulher. "Foi a partir do 8 de Março que as lutas se intensificaram nas ruas", assinalou, lembrando o sucesso das paralisações nacionais realizadas posteriormente, em 15 e 31 de março, culminando com a surpreendente greve geral de 28 de abril. 

Dia 30 ou vai ou racha

Um dos convidados do evento, o deputado federal José Guimarães (PT/CE) enfatizou que o Brasil vive dias decisivos. Ele destacou que a batalha em defesa da democracia não é travada apenas entre as paredes do Congresso Nacional, onde tramitam as reformas, ou no Pleno do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que julga a cassação da chapa Dilma-Temer. Para o parlamentar, a principal batalha será travada nas ruas. 

"Nossa principal tarefa é organizar o povo nas ruas para tirar o Temer, já que no TSE não vai acontecer nada. A greve do dia 30 ou vai ou racha. Ou nós tiramos esse governo agora ou não vai ter como continuar governando o Brasil. O PT não aceitará Colégio Eleitoral. Ou é diretas já, ou paralisamos o Brasil", disse o deputado. 

"Fogueira" para os golpistas 

"Dia 30 vamos fazer uma grande fogueira no Nordeste para 'queimar' aqueles que atentam contra os direitos da classe trabalhadora", completou a secretária nacional de Formação da CUT, Rosani Bertotti, se referindo ao calendário junino na Região e aos atos culturais que serão promovidos no dia 30 de junho, dentro do calendário da greve geral. 

Após o ato de abertura e a votação do Regimento Interno, foi iniciado o debate "Conjuntura, estratégias e plano de lutas", com a participação de Ricardo Gebrim, da Consulta Popular, entidade integrantes da Frente Brasil Popular, Sérgio Nobre, secretário-geral da CUT Nacional, e representantes de todas as forças políticas que integram a entidade no Ceará. As atividades continuaram à tarde, com trabalhos de grupo, e à noite, com a realização de um ato político, no Sindicato dos Comerciários, seguido de noite cultural.

A plenária/congresso encerra na manhã deste sábado (10) com a apresentação da síntese dos trabalhos em grupos, aprovação das emendas, resoluções e moções, e eleição dos delegados e delegadas que representarão o Ceará na 15ª Plenária Nacional da CUT.

Título: Delegação de 56 servidores municipais fortalece a plenária/congresso da CUT CE, Conteúdo: Servidores públicos municipais de todo o Ceará participam da 13ª Plenária Estatutária/I Congresso Extraordinário e Exclusivo da Central Única dos Trabalhadores no Estado (CUT/CE). Uma delegação formada por 31 mulheres e 25 homens, somando 56 municipais, representa a categoria na atividade, aberta na manhã desta sexta-feira (09), no Sindicato dos Bancários. A Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal (Confetam/CUT) está representada no evento pela secretária da Mulher Trabalhadora, Ozaneide de Paulo.   A tônica das falas deu o mote da essência da plenária/congresso: a superação das divergências e a construção da unidade para a mobilização da maior greve geral da história do movimento sindical brasileiro. Agendada para o dia 30 de junho, a Greve Geral da Classe Trabalhadora exigirá a retirada das reformas previdenciária e trabalhista da pauta do Congresso Nacional, a revogação da Lei das Terceirizações e a aprovação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) das Diretas Já! Unidade na luta Na abertura do evento, a presidente da Federação dos Trabalhadores do Serviço Público Municipal do Ceará (Fetamce), Enedina Soares, deu as boas vindas aos delegados, delegadas, representantes dos movimentos sociais, convidados e autoridades. Ela cobrou dos presentes o compromisso de resistirem juntos aos ataques do governo golpista contra a classe trabalhadora. Temos de ter a compreensão de que sozinhos não construiremos a nossa resistência. Nosso desafio é trazer os não sindicalizados para a luta. A greve geral do dia 28 de abril mostrou que os trabalhadores querem ir para a rua, afirmou, lembrando que só no Estado do Ceará mais de 50 prefeitos decretaram ponto facultativo na data e que aqueles que não o fizeram tiveram de se explicar com a sociedade. A presidente da Fetamce lembrou também que o ponto de partida das maiores manifestações nacionais contra as reformas e em defesa da democracia foi articulado inicialmente pelas trabalhadoras, com os atos do 8 de Março - Dia Internacional da Mulher. Foi a partir do 8 de Março que as lutas se intensificaram nas ruas, assinalou, lembrando o sucesso das paralisações nacionais realizadas posteriormente, em 15 e 31 de março, culminando com a surpreendente greve geral de 28 de abril.  Dia 30 ou vai ou racha Um dos convidados do evento, o deputado federal José Guimarães (PT/CE) enfatizou que o Brasil vive dias decisivos. Ele destacou que a batalha em defesa da democracia não é travada apenas entre as paredes do Congresso Nacional, onde tramitam as reformas, ou no Pleno do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que julga a cassação da chapa Dilma-Temer. Para o parlamentar, a principal batalha será travada nas ruas.  Nossa principal tarefa é organizar o povo nas ruas para tirar o Temer, já que no TSE não vai acontecer nada. A greve do dia 30 ou vai ou racha. Ou nós tiramos esse governo agora ou não vai ter como continuar governando o Brasil. O PT não aceitará Colégio Eleitoral. Ou é diretas já, ou paralisamos o Brasil, disse o deputado.  Fogueira para os golpistas  Dia 30 vamos fazer uma grande fogueira no Nordeste para queimar aqueles que atentam contra os direitos da classe trabalhadora, completou a secretária nacional de Formação da CUT, Rosani Bertotti, se referindo ao calendário junino na Região e aos atos culturais que serão promovidos no dia 30 de junho, dentro do calendário da greve geral.  Após o ato de abertura e a votação do Regimento Interno, foi iniciado o debate Conjuntura, estratégias e plano de lutas, com a participação de Ricardo Gebrim, da Consulta Popular, entidade integrantes da Frente Brasil Popular, Sérgio Nobre, secretário-geral da CUT Nacional, e representantes de todas as forças políticas que integram a entidade no Ceará. As atividades continuaram à tarde, com trabalhos de grupo, e à noite, com a realização de um ato político, no Sindicato dos Comerciários, seguido de noite cultural. A plenária/congresso encerra na manhã deste sábado (10) com a apresentação da síntese dos trabalhos em grupos, aprovação das emendas, resoluções e moções, e eleição dos delegados e delegadas que representarão o Ceará na 15ª Plenária Nacional da CUT.



Informativo CONFETAM

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.