Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

Prefeito e vereadores de Canindé de S. Fco. serão internados simbolicamente durante protesto

A greve dos servidores municipais chega próximo de completar 30 dias sem que o prefeito tenha encaminhado uma proposta de acordo para os trabalhadores.

Escrito por: Sindiserve Canindé • Publicado em: 19/07/2018 - 12:11 • Última modificação: 20/07/2018 - 14:38 Escrito por: Sindiserve Canindé Publicado em: 19/07/2018 - 12:11 Última modificação: 20/07/2018 - 14:38

. .

Em meio ao caos em que se encontra o município de Canindé de São Francisco (SE), a greve geral dos servidores públicos chega próximo de completar 30 dias sem que o prefeito Ednaldo da Farmácia tenha encaminhado uma proposta de acordo para a categoria. Diante da intransigência da prefeitura, os servidores deliberarem pela continuidade da greve e pela internação simbólica do gestor municipal e de 11 vereadores. 

Em assembleia lotada, realizada dia 16 de julho, os servidores municipais deliberaram por unanimidade pela manutenção da greve. O prefeito Ednaldo da Farmácia não enviou a proposta de Reajuste Salarial 2018 (a lei municipal n°121/2016 garante o REAJUSTE SALARIAL ANUAL SEMPRE NO MÊS DE FEVEREIRO); não indicou a data de pagamento dos retroativos devidos e não cumpriu a Lei Municipal n°227/2009 (PLANO DE CARGOS, CARREIRAS E VENCIMENTOS); nem indicou os membros para a efetivação da COPEACA (Comissão Permanente de Avaliação da Carreira do Servidor). Agora são três motivos pelos quais a greve continua.

A gestão solicitou quinze dias para apresentar uma proposta contendo o percentual de reajuste salarial e demais respostas às reivindicações da categoria, que aguardará em greve um posicionamento da prefeitura. 

Foi deliberado como o ato principal da greve A INTERNAÇÃO SIMBÓLICA DO PREFEITO EDNALDO DA FARMÁCIA E DOS 11 VEREADORES, a ser realizado no próximo dia 25 de julho, com concentração a partir das 08hs da manhã.

O intuito do ato é provocar os vereadores a saírem da "MACA" e começarem o fazer o trabalho deles de fiscalizar e controlar as contas públicas. A Câmara Municipal foi encarregada pela Constituição de acompanhar a execução do orçamento do município e verificar a legalidade e legitimidade dos atos do Poder Executivo. É função do vereador avaliar permanentemente a gestão e as ações do prefeito, algo que não está acontecendo

Por falta dessa fiscalização, o prefeito Ednaldo da Farmácia está fazendo o que bem entende, prejudicando os servidores públicos e toda uma população.

A gestão do Prefeito Ednaldo da Farmácia alega que o município está em crise, que a folha de pagamento está inchada, que está sem dinheiro, etc. Mas o presidente do Sindiserve-Canindé, Emanoel Aleixo, questiona. "Que crise é essa em um município com uma média 400 contratos, aproximadamente 100 cargos comissionados, quase R$ 300 mil de gratificações?". 

Ainda há tempo, tanto para os vereadores, que tem que começar a agir de fato, como também para o prefeito começar a gerir bem os recursos públicos, e acabar de vez com os vícios que ainda existem em Canindé de São Franciscos, tais como os fantasmas existentes (servidores que recebem sem trabalhar), gratificações irregulares e demais acordos políticos.

"Estamos a 25 dias da greve geral, já cumprimos várias atividades de luta e ainda faltam muitas reivindicações a serem efetivadas da pauta da categoria, tais como a garantia do recebimento dos passivos que se acumulam mais de R$ 2 milhões de direitos retirados, onde a gestão de posiciona na contra mão, dizendo que os servidores devem judicializar as ações para receberem esse direito, e isso se reflete em mais gastos para os cofres públicos. Outro direito são os terços feriais, que desde 2015/2016 não vem sendo pagos na íntegra, e o nosso carro chefe, a nossa revisão salarial 2018, onde temos a Lei Municipal nº 121/2016 que nos garante desde o mês de fevereiro de 2018 o reajuste salarial, e até agora nada", critica a diretora de Formação Sindical, Rosana Menezes.

"Diante desse cenário de arrocho para os servidores públicos, o que nos resta é a resistência, para continuarmos nossas atividades como ferramenta de pressão para pressionar a gestão a retirar todas as irregularidades administrativas e transformar em garantias de direitos para  os servidores públicos, que da sustentação para máquina pública, queremos convidar os servidores e a população em geral para nossa próxima atividade, que será muito criativa e simbólica, será no próximo dia 25/07 a partir das 08:00 horas, em frente a biblioteca Municipal. Venham todos participar, essa luta é nossa!", convoca a diretora Rosana Menezes.

"Merecemos e queremos o nosso reajuste salarial 2018, e estamos lutando por isso, encaminhamos no início do ano de 2018 uma proposta de reajuste salarial de 10% para todas as categorias e até agora a gestão não encaminhou uma contra proposta; a greve também é para que o nosso Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos seja respeitado e direitos como a Titulação e Desenvolvimento por Escolaridade voltem a ser normalizados. Precisamos também saber quando de fato iremos receber os retroativos, como o adicional do terço 2016/2017 e 2017/2018, além de ser um momento para que possamos externar as nossas aflições e as aflições de toda uma população que está sofrendo muito" declara o vice-presidente, Adailton Souza.

A greve geral continua por tempo indeterminado. Os servidores públicos aguardam uma proposta encaminhada pela gestão do prefeito Ednaldo da Farmácia para submeter à apreciação dos servidores públicos municipais.

Na noite de hoje (19), a categoria se reúne em assembleia para avaliar a decisão do Tribunal de Justiça do Estado de Sergipe que determina a suspensão do movimento grevista.

Título: Prefeito e vereadores de Canindé de S. Fco. serão internados simbolicamente durante protesto, Conteúdo: Em meio ao caos em que se encontra o município de Canindé de São Francisco (SE), a greve geral dos servidores públicos chega próximo de completar 30 dias sem que o prefeito Ednaldo da Farmácia tenha encaminhado uma proposta de acordo para a categoria. Diante da intransigência da prefeitura, os servidores deliberarem pela continuidade da greve e pela internação simbólica do gestor municipal e de 11 vereadores.  Em assembleia lotada, realizada dia 16 de julho, os servidores municipais deliberaram por unanimidade pela manutenção da greve. O prefeito Ednaldo da Farmácia não enviou a proposta de Reajuste Salarial 2018 (a lei municipal n°121/2016 garante o REAJUSTE SALARIAL ANUAL SEMPRE NO MÊS DE FEVEREIRO); não indicou a data de pagamento dos retroativos devidos e não cumpriu a Lei Municipal n°227/2009 (PLANO DE CARGOS, CARREIRAS E VENCIMENTOS); nem indicou os membros para a efetivação da COPEACA (Comissão Permanente de Avaliação da Carreira do Servidor). Agora são três motivos pelos quais a greve continua. A gestão solicitou quinze dias para apresentar uma proposta contendo o percentual de reajuste salarial e demais respostas às reivindicações da categoria, que aguardará em greve um posicionamento da prefeitura.  Foi deliberado como o ato principal da greve A INTERNAÇÃO SIMBÓLICA DO PREFEITO EDNALDO DA FARMÁCIA E DOS 11 VEREADORES, a ser realizado no próximo dia 25 de julho, com concentração a partir das 08hs da manhã. O intuito do ato é provocar os vereadores a saírem da MACA e começarem o fazer o trabalho deles de fiscalizar e controlar as contas públicas. A Câmara Municipal foi encarregada pela Constituição de acompanhar a execução do orçamento do município e verificar a legalidade e legitimidade dos atos do Poder Executivo. É função do vereador avaliar permanentemente a gestão e as ações do prefeito, algo que não está acontecendo Por falta dessa fiscalização, o prefeito Ednaldo da Farmácia está fazendo o que bem entende, prejudicando os servidores públicos e toda uma população. A gestão do Prefeito Ednaldo da Farmácia alega que o município está em crise, que a folha de pagamento está inchada, que está sem dinheiro, etc. Mas o presidente do Sindiserve-Canindé, Emanoel Aleixo, questiona. Que crise é essa em um município com uma média 400 contratos, aproximadamente 100 cargos comissionados, quase R$ 300 mil de gratificações?.  Ainda há tempo, tanto para os vereadores, que tem que começar a agir de fato, como também para o prefeito começar a gerir bem os recursos públicos, e acabar de vez com os vícios que ainda existem em Canindé de São Franciscos, tais como os fantasmas existentes (servidores que recebem sem trabalhar), gratificações irregulares e demais acordos políticos. Estamos a 25 dias da greve geral, já cumprimos várias atividades de luta e ainda faltam muitas reivindicações a serem efetivadas da pauta da categoria, tais como a garantia do recebimento dos passivos que se acumulam mais de R$ 2 milhões de direitos retirados, onde a gestão de posiciona na contra mão, dizendo que os servidores devem judicializar as ações para receberem esse direito, e isso se reflete em mais gastos para os cofres públicos. Outro direito são os terços feriais, que desde 2015/2016 não vem sendo pagos na íntegra, e o nosso carro chefe, a nossa revisão salarial 2018, onde temos a Lei Municipal nº 121/2016 que nos garante desde o mês de fevereiro de 2018 o reajuste salarial, e até agora nada, critica a diretora de Formação Sindical, Rosana Menezes. Diante desse cenário de arrocho para os servidores públicos, o que nos resta é a resistência, para continuarmos nossas atividades como ferramenta de pressão para pressionar a gestão a retirar todas as irregularidades administrativas e transformar em garantias de direitos para  os servidores públicos, que da sustentação para máquina pública, queremos convidar os servidores e a população em geral para nossa próxima atividade, que será muito criativa e simbólica, será no próximo dia 25/07 a partir das 08:00 horas, em frente a biblioteca Municipal. Venham todos participar, essa luta é nossa!, convoca a diretora Rosana Menezes. Merecemos e queremos o nosso reajuste salarial 2018, e estamos lutando por isso, encaminhamos no início do ano de 2018 uma proposta de reajuste salarial de 10% para todas as categorias e até agora a gestão não encaminhou uma contra proposta; a greve também é para que o nosso Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos seja respeitado e direitos como a Titulação e Desenvolvimento por Escolaridade voltem a ser normalizados. Precisamos também saber quando de fato iremos receber os retroativos, como o adicional do terço 2016/2017 e 2017/2018, além de ser um momento para que possamos externar as nossas aflições e as aflições de toda uma população que está sofrendo muito declara o vice-presidente, Adailton Souza. A greve geral continua por tempo indeterminado. Os servidores públicos aguardam uma proposta encaminhada pela gestão do prefeito Ednaldo da Farmácia para submeter à apreciação dos servidores públicos municipais. Na noite de hoje (19), a categoria se reúne em assembleia para avaliar a decisão do Tribunal de Justiça do Estado de Sergipe que determina a suspensão do movimento grevista.



Informativo CONFETAM

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.