Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

Professores de Lavras da Mangabeira (CE) mantém greve que perdura há quase 20 dias

Os professores da rede de ensino do município estiveram reunidos nesta sexta-feira, 1º de junho, para manter a decisão tomada no dia 16 de maio: a greve da categoria.

Escrito por: Várzea Alegre Agora • Publicado em: 04/06/2018 - 16:00 • Última modificação: 04/06/2018 - 16:26 Escrito por: Várzea Alegre Agora Publicado em: 04/06/2018 - 16:00 Última modificação: 04/06/2018 - 16:26

. .

Eles reivindicam a revogação de um projeto de lei aprovado pela Câmara dos Vereadores que concede o reajuste do piso salarial dos professores, mas sem prever pagamento de retroativos referentes aos meses de janeiro, fevereiro, março e abril. Outra alteração foi feita no Plano de Cargos e Carreira do Professor, a partir da redução de gratificações referentes a graduação e a pós-graduação.

O índice de reajuste da graduação que antes era em torno de 15% passou a valer somente 8%, já da pós-graduação que antes era 8% passou para 10%.

Para os professores a administração concedeu o reajuste do piso, mas reduziu salário ao mesmo tempo. Os professores veteranos graduados vão ganhar os 6% do piso, porém seus salários diminuirão em torno de 7% de acordo com a nova tabela, já os pós graduados que tinham em seus salários gratificação de 23% (15%+8%) ganharão o piso de 6%, mas terão outros 13% reduzidos de seus salários.

Na manhã de sexta-feira (01), vários servidores realizaram uma grande caminhada pelas principais ruas do centro da cidade, com paradas na praça da Matriz e em frente a prefeitura. Mesmo com o sol escaldante, isso não foi nenhum motivo para o encerramento tão cedo, a luta era a sede dos representantes da educação que solicitam uma posição imediata do gestor, Ildsser Alencar, MDB.

Para a professora Elismar Araújo, do Sítio Juazeirinho, Várzea Alegre, que presta serviços em Lavras há 19 anos, o projeto de lei trará prejuízos futuros.

Representantes dos sindicatos da região abraçaram a causa, já o do município não está apoiando o movimento, inclusive a diretoria decretou o fim do movimento no feriado de Corpus Christi em um meio de comunicação. O professor Raimundo Bento disse que mesmo assim o movimento grevista continua.

O presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Várzea Alegre, Erialdo Abrahão, esteve no evento. O vereador Tenta Olegário caminhou com os servidores e está apoiando desde o início. O professor varzealegrense Anderson Almeida também esteve na mobilização manifestando apoio.

A presidente da Federação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal do Estado do Ceará (Fetamce), Enedina Soares, destaca que a mobilização é importante. O advogado Antônio José afirmou que a greve é legal.

A caminhada foi encerrada em frente a prefeitura a Câmara. O espaço foi utilizado como uma espécie de palanque para os pronunciamentos. A ação foi encerrada oficialmente quando todos votaram pela continuidade da mobilização que já chega há quase 20 dias.

 

Título: Professores de Lavras da Mangabeira (CE) mantém greve que perdura há quase 20 dias, Conteúdo: Eles reivindicam a revogação de um projeto de lei aprovado pela Câmara dos Vereadores que concede o reajuste do piso salarial dos professores, mas sem prever pagamento de retroativos referentes aos meses de janeiro, fevereiro, março e abril. Outra alteração foi feita no Plano de Cargos e Carreira do Professor, a partir da redução de gratificações referentes a graduação e a pós-graduação. O índice de reajuste da graduação que antes era em torno de 15% passou a valer somente 8%, já da pós-graduação que antes era 8% passou para 10%. Para os professores a administração concedeu o reajuste do piso, mas reduziu salário ao mesmo tempo. Os professores veteranos graduados vão ganhar os 6% do piso, porém seus salários diminuirão em torno de 7% de acordo com a nova tabela, já os pós graduados que tinham em seus salários gratificação de 23% (15%+8%) ganharão o piso de 6%, mas terão outros 13% reduzidos de seus salários. Na manhã de sexta-feira (01), vários servidores realizaram uma grande caminhada pelas principais ruas do centro da cidade, com paradas na praça da Matriz e em frente a prefeitura. Mesmo com o sol escaldante, isso não foi nenhum motivo para o encerramento tão cedo, a luta era a sede dos representantes da educação que solicitam uma posição imediata do gestor, Ildsser Alencar, MDB. Para a professora Elismar Araújo, do Sítio Juazeirinho, Várzea Alegre, que presta serviços em Lavras há 19 anos, o projeto de lei trará prejuízos futuros. Representantes dos sindicatos da região abraçaram a causa, já o do município não está apoiando o movimento, inclusive a diretoria decretou o fim do movimento no feriado de Corpus Christi em um meio de comunicação. O professor Raimundo Bento disse que mesmo assim o movimento grevista continua. O presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Várzea Alegre, Erialdo Abrahão, esteve no evento. O vereador Tenta Olegário caminhou com os servidores e está apoiando desde o início. O professor varzealegrense Anderson Almeida também esteve na mobilização manifestando apoio. A presidente da Federação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal do Estado do Ceará (Fetamce), Enedina Soares, destaca que a mobilização é importante. O advogado Antônio José afirmou que a greve é legal. A caminhada foi encerrada em frente a prefeitura a Câmara. O espaço foi utilizado como uma espécie de palanque para os pronunciamentos. A ação foi encerrada oficialmente quando todos votaram pela continuidade da mobilização que já chega há quase 20 dias.  



Informativo CONFETAM

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.