Webmail CUT

Acesse seu Webmail CUT


Login CUT

Acesse a CUT

Esqueceu a senha?

Sem diálogo, prefeito de Sta Luzia do Itanhy (SE) corta adicional de periculosidade e insalubridade de servidores

Sem qualquer diálogo com o sindicato, a gestão municipal cortou de 20% a 40% da remuneração dos servidores.

Escrito por: Iracema Corso • Publicado em: 11/06/2018 - 14:08 • Última modificação: 14/06/2018 - 12:32 Escrito por: Iracema Corso Publicado em: 11/06/2018 - 14:08 Última modificação: 14/06/2018 - 12:32

. .

Filiados à Central Única dos Trabalhadores (CUT/SE), os diretores do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Santa Luzia do Itanhi (SINDSLUZI) foram surpreendidos com o corte dos adicionais de periculosidade e insalubridade, descontados do contracheque de maio.

Sem qualquer diálogo com o sindicato, a gestão municipal cortou entre 20% até 40% da remuneração dos servidores, através desta medida.

O presidente do Sindsluzi, Joaquim dos Santos, procurou a gestão do prefeito Edson Santos Cruz (MDB) para saber o motivo do corte dos adicionais que são direitos conquistados dos trabalhadores.

"Eles explicaram que cortaram os adicionais dos servidores para fazer um levantamento... Os servidores indignados procuraram o sindicato e estamos fazendo requerimento para a reposição de tudo que foi cortado da remuneração dos trabalhadores. A depender da atitude que a gestão tomar, iremos às vias judiciais para cobrar que os direitos dos trabalhadores sejam cumpridos", afirmou Joaquim dos Santos.

Título: Sem diálogo, prefeito de Sta Luzia do Itanhy (SE) corta adicional de periculosidade e insalubridade de servidores, Conteúdo: Filiados à Central Única dos Trabalhadores (CUT/SE), os diretores do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Santa Luzia do Itanhi (SINDSLUZI) foram surpreendidos com o corte dos adicionais de periculosidade e insalubridade, descontados do contracheque de maio. Sem qualquer diálogo com o sindicato, a gestão municipal cortou entre 20% até 40% da remuneração dos servidores, através desta medida. O presidente do Sindsluzi, Joaquim dos Santos, procurou a gestão do prefeito Edson Santos Cruz (MDB) para saber o motivo do corte dos adicionais que são direitos conquistados dos trabalhadores. Eles explicaram que cortaram os adicionais dos servidores para fazer um levantamento... Os servidores indignados procuraram o sindicato e estamos fazendo requerimento para a reposição de tudo que foi cortado da remuneração dos trabalhadores. A depender da atitude que a gestão tomar, iremos às vias judiciais para cobrar que os direitos dos trabalhadores sejam cumpridos, afirmou Joaquim dos Santos.



Informativo CONFETAM

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.